HOME » Informao Ps-Graduao


Informao Ps-Graduao

 

Informações sobre o Programa de

Pós-Graduação em Medicina (Radiologia) - UFRJ

 

Introdução

O Programa de Pós-Graduação em Medicina (Radiologia) foi iniciado pelos Professores Nicola Caminha, Abércio Arantes Pereira, Otacílio do Carmo Resende e José Clemente Magalhães Pinto. Em 1977 ocorreu a primeira defesa de Dissertação de Mestrado. 

Em 1984, com o Mestrado consolidado, foi organizado o programa para o Curso de Doutorado que aprovado pelo CEPEG abriu seu primeiro concurso em 1985. Já no final do ano de 1986 a 1ª tese de doutorado foi defendida.

Em 1991, pela resolução CEPEG n° 04/90 foi possível o desrepresamento dos alunos que haviam concluído seus créditos mas que não haviam defendido suas teses. A defesa destas teses foram realizadas em 1992. Foram defendidas 14 teses de Mestrado e 6 teses de Doutorado.

Em 1995 houve uma completa reformulação do Curso, haja vista um novo acúmulo de alunos represados. Aqueles que não conseguiram cumprir o prazo estabelecido foram excluidos do Curso. Na avaliação pela CAPES, o Curso de Mestrado que estava em -B passou a A, sendo que o Doutorado manteve-se em B. Já na avaliação de 2000, sob a nova modalidade por pontuação, o Programa recebeu conceito 4, repetido em 2003. Em 2006 evoluiu para o conceito 5, confirmado em 2009, e na ultima avaliação em 2012 obteve o conceito 6, estando entre os melhores da Faculdade de Medicina. 

A Coordenação do Programa trabalhou pela qualidade das teses e dissertações, envolvendo-as em Linhas de Pesquisa. Com isto, foi possível introduzir "Áreas Afins" à Radiologia, na área de concentração. Assim, o Curso possui entre seus alunos físicos, biólogos, analistas de sistemas, economistas, administradores, pedagogos, psicólogos, enfermeiros, advogados, radiologistas, mastologistas, ginecologistas, oncologistas, dentro de uma mesma Linha de Pesquisa.

 

Público alvo

Destina-se a profissionais graduados, professores e pesquisadores da Área da Saúde ou afins, que tenham relação com a Radiologia e Diagnóstico por Imagem, nas áreas de pesquisa do programa. 

 

Objetivos

O programa tem como objetivos principais formar docentes para o ensino universitário e pesquisadores em Radiologia, estimulando o desenvolvimento de pesquisas na área da saúde e ensino. 

 

Apresentação

Se você pretende se candidatar a uma vaga no programa de Pós-Graduação em Medicina (Radiologia), nos cursos de Mestrado ou Doutorado, lembre-se de marcar uma entrevista com o futuro orientador, com o qual você irá conversar sobre seu projeto de trabalho a ser desenvolvido.

Nessa sua primeira visita ao Departamento você já pode trazer, para mostrar/deixar com o orientador:

- Curriculum vitae com cópia dos principais títulos pessoais, que poderão ficar arquivados. Isto não representa matrícula, ingresso em estágio ou aceitação do aluno. É apenas uma visita inicial.

- Cópia de trabalho(s) publicado(s), se tiver, em especial se forem ligados ao projeto ou trabalho, que também poderão ficar arquivadas.

- Seu projeto ou trabalho, que vai ser encaminhado a uma comissão de avaliação indicada pela coordenação do curso e ao Comitê de Ética em Pesquisa do HUCFF se ainda não tiver sido submetido a outro CEP.

- Se já tiver iniciado a coleta de dados/material para o trabalho, devem ser apresentados os resultados parciais já obtidos. 

- Seu trabalho poderá apresentado na forma de seminário aos coordenadores do curso se houver duvidas quanto ao conteúdo, que darão um parecer inicial e poderão ate recomendar alguma correção no trabalho. 

- Preferencialmente, o trabalho deve estar inserido nas linhas de pesquisa do Curso. Projetos isolados são aceitos a critério da Coordenação e do orientador designado.

- Lembre-se que o seu orientador final será designado pela Coordenação do Programa e pode não ser a pessoa que está lhe acompanhando previamente.

 

Evolução

1 - Estágio Probatório

- A coordenação da pós-graduação submeterá o trabalho à avaliação de pelo menos um professor do programa, que aprovará ou não o projeto. Será, então, indicado um professor para acompanhar a evolução inicial do aluno, seu interesse e capacidade de levar o trabalho ao fim.

- Nesta fase, e dependendo da evolução, o aluno é posto em estágio probatório, fase que precede a indicação do aluno para matrícula. Passa a ser acompanhado por um professor do Curso, indicado para ser o orientador do trabalho. Neste período, o trabalho deve ser desenvolvido de forma mais evidente, pois o ingresso efetivo no Curso implicará em aceitação pelo candidato e seu orientador que o trabalho será concluído dentro dos prazos de titulação determinados pelo programa. Ao mesmo tempo deve desenvolver, supervisionado pelo seu orientador, e enviar para um periódico indexado o artigo a ser publicado. A escolha do periódico deve ser feita em comum acordo com o orientador. Artigos que não tiverem a supervisão e participação efetiva do orientador no desenvolvimento da pesquisa e na redação final do texto não serão aceitos.

- A passagem do estágio probatório para o ingresso efetivo somente deve ser feita após aprovação por comissão designada pela coordenação do curso.

- Durante o estágio probatório o aluno já pode cursar algumas disciplinas do mestrado, cujos créditos lhe serão concedidos quando da aceitação efetiva e matrícula regular no mestrado. E, enfatizando, já deve ter em bom desenvolvimento o artigo para publicação.

- A participação no estágio probatório não assegura o ingresso no mestrado.

- Matriculado no Curso, tem seu trabalho acompanhado até a fase de seminários de apresentação e de qualificação, quando é liberado pelo orientador e por comissão avaliadora para a defesa perante banca examinadora.

 

2 - Aluno regularmente matriculado

- Os resultados parciais e o artigo desenvolvido para periódico definido pelo orientador e comissão de pós-graduação, são pré-requisitos para o ingresso nesta fase.

- Avaliado no final do estágio probatório, liberado pelo orientador e aprovado para ingresso, o aluno faz sua matrícula oficial na secretaria de Pós-Graduação da Faculdade de Medicina, fornecendo toda a documentação exigida para esta formalidade, geralmente em julho e fevereiro. Verificar estas datas é dever do candidato.

- O prazo de conclusão do curso é variável, habitualmente de 18 meses para o mestrado e 3 anos para o doutorado. 

- Os créditos de "desenvolvimento de tese" são indispensáveis. Assim como os demais créditos e atividades: didático, assistencial, planejamento curricular, bioestatística, metodologia científica e bioética.

- Dois conceitos I (insuficiente), em qualquer crédito, automaticamente desligam o aluno do curso.

- O não cumprimento destes prazos pode prejudicar o conceito do Curso na avaliação da CAPES (MEC), sendo inaceitável que possa ocorrer. O desligamento do aluno ocorrerá em qualquer destas condições.

 

3 - A defesa do trabalho

- É a cerimônia formal de conclusão do Curso e obtenção do Grau de Mestre ou Doutor. Para que possa ser marcada, são necessários alguns cuidados:

1 - conclusão de todos os créditos definidos pela coordenação,

2 - apresentação de declaração da biblioteca do CCS sobre o cadastramento da ficha catalográfica,

3 - apresentação da carta de aceitação do trabalho enviado para publicação, ou de cópia do trabalho se já publicado.

4 - aprovação por banca de qualificação, que habitualmente será a banca da defesa.

 

4 - A homologação da defesa e do trabalho.

Lembrar que a entrada no processo de homologação, passo final para o registro e obtenção do título, ou seja, o ato final para a obtenção do diploma, somente ocorrerá depois da formalização de todos os itens e documentos exigidos. Portanto, muita atenção e este item. Porque tem de ocorrer no máximo até 60 dias depois da defesa. É norma da Universidade e tem que ser respeitada. Não serão apresentadas justificativas pela coordenação em caso de atraso e o aluno perderá o título/trabalho. Recomenda-se de forma enfática ter tudo pronto e dar entrada na homologação até 30 dias após a data da defesa.

- O aluno deve pessoalmente providenciar o sistema de projeção visual da aula da dissertação/tese, alguns dias antes, verificando e testando o equipamento a ser usado na apresentação e providenciar correção de eventuais incompatibilidades. O Departamento não tem funcionário para essa finalidade!

- Após a defesa do trabalho, o aluno deve providenciar, no prazo regulamentar, as correções sugeridas pela Banca Examinadora, toda a documentação necessária e as cópias do trabalho para entrega na Coordenação Geral da Pós-Graduação, quando então será requerida a homologação da defesa e a confecção do diploma de conclusão do Curso. O conteúdo integral do trabalho defendido, da folha de rosto à última página das referências ou anexos, deverá ser preparado em um único arquivo DOC ou PDF, preferencialmente este último, e entregue em duplicata, em 2 CDs.

- O título de Mestre ou Doutor em Medicina somente é dado a médicos. Todos os demais alunos receberão, ao final do curso e após cumprir todas as formalidades, o título de Mestre ou Doutor em Ciências.

 

Obrigações

Lembre-se também que, se você pretende participar da Pós-Graduação em Radiologia, além das outras atividades regulares, é obrigatória a presença em certas atividades, que habitualmente ocorrem às quartas feiras pela manhã. Portanto este horário tem que estar sempre disponível.

Estas atividades são:

- defesas das teses ou dissertações do Curso.

- reuniões ordinárias ou extraordinárias convocadas pela coordenação.

- seminários, cursos e palestras de professores convidados.

- atividades científicas consideradas importantes pela coordenação do Curso.

A ausência não justificada nestas atividades excluirá o aluno do Curso, porque estas atividades fazem parte do crédito desenvolvimento de Tese. E dois conceitos I (insuficiente) excluem o aluno automaticamente do curso. É o sistema que faz isto.

Ocasionalmente, alguma atividade poderá ser marcada para outro dia da semana.

 

 

Concessão de bolsas

Depende do número de bolsas de estudo oferecido pelos órgãos financiadores, CAPES e CNPq.

Habitualmente, devido ao conceito obtido e ao prestígio do Curso, este número é suficiente para todos os alunos que não tenham impedimento legal a bolsa de estudos. Há condições e restrições legais para sua concessão.

Porém, ocasionalmente pode ocorrer de não haver bolsas para todos, e serão levadas em conta na sua distribuição a classificação obtida na prova de seleção e as tarefas do aluno.

As pessoas que desenvolverem mais atividades ligadas ao Serviço ou ao Departamento terão prioridade se houver alguma limitação.

A não concessão de bolsa não exime o aluno das atividades que se fizerem necessárias no Serviço ou Departamento.

Com ou Sem Bolsa, as tarefas assistenciais, com apoio nas tarefas de rotina, são OBRIGATÓRIAS, e a não participação nelas implica em não completar os créditos necessários. O aluno poderá, inclusive, ser desligado do curso em caso de falta ou reincidência.

É uma obrigação com o hospital que não pode ser descumprida.

 

 

 

 


Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Janeiro
Av. Carlos Chagas Filho, 373, Edifício do Centro de Ciências da Saúde
Bloco K, 2º andar, Sala 49 - Cidade Universitária - Ilha do Fundão
Rio de Janeiro - Brasil - CEP: 21.941-902
Tel.: +55 21 3938-6708 / +55 21 2280-7793