Acesso à informação - Brasil Acesso à informação Portal Brasil

Home » Notícias » Disciplina SADE E SENTIDOS DA VIDA E DA MORTE

Disciplina SADE E SENTIDOS DA VIDA E DA MORTE

Disciplina SADE E SENTIDOS DA VIDA E DA MORTE

Vagas: 30 vagas Medicina graduao

Data: 13 de setembro a 1 de novembro 2017 (Quarta-feira)

Horrio 13hs. s 17hs. Local: CCS Bloco A Sala 11

Professores Eliane Brigida Morais Falco, Gustavo Oliveira Figuereido, Anderson Nunes Pinto

Contato elianebrigida@uol.com.br

Ementa Viso bio-psico-social do ser humano e relaes com a sade e os cuidados do paciente.Viso de mundo, valores e crenas. Culturas, Cincia, Religio, Atesmo.

Exerccio profissional na rea da sade e condies scio-histricas que condicionam as relaes pacienteequipe de sade. Sofrimento e enfrentamento dos limites da sade. Diferentes respostas humanas s situaes existenciais que incluem perspectivas de vida e de morte. Relao paciente/equipe de sade e atitudes frente a expresses de religiosidade. Tecnologias das biocincias e da conversao, escuta e empatia a servio da ateno integral nos cuidados de sade

Objetivos da disciplina Sade e Sentidos da Vida e da Morte

Discutir a viso bio-psico-social do ser humano e contingncias que cercam a sade, preservao e atendimento profissional. Relaes paciente-equipe de sade. Sofrimento e enfrentamento de questes de perda de sade. Diferentes respostas humanas s perspectivas de vida e de morte.

Dinmica das aulas. Discusso de textos, de casos vividos ou testemunhados ou questionados pelos estudantes. E com a participao eventual, como convidados, de professores e profissionais experientes da rea de sade.

Avaliao ser realizada por trabalhos escritos e freqncia de 75% nas aulas.

Bibliografia Bsica

Dalgalarrondo, P. Religio, psicopatologia e sade mental. Porto Alegre: Artmed, 2008.

Elias, N. A solido dos moribundos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed. 2001

Falco, E.B.M. Vianna, F. Mdicos e Pacientes entre o sofrimento e a morte. Documentrio Gravado, 2013. Disponvel Youtube

Falco, E.; Mendona, S. Formao mdica, cincia e atendimento ao paciente que morre: uma herana em questo. Rev.Bra.de Educ Md, RJ v.33, n.3, p.364 -373, 2009.

Geertz, C. A Interpretao Das Culturas. Rio De Janeiro: Ltc, 1989.

Helman, C. Cultura, sade e doena. Porto Alegre: Artmed, 2009.

James, W. (1995). As Variedades Da Experincia Religiosa: Um Estudo Sobre A Natureza Humana. So Paulo: Cultrix, 1995.

Koenig. H. Medicina, Religio E Sade: O Encontro Da Cincia E Da Espiritualidade. Porto Alegre: L&Pm, 2012.

Kovcs, Maria. Jlia. Educao Para A Morte. Desafio Na Formao De Profissionais De Sade E Educao. So Paulo, Sp: Casa Do Psiclogo, 2003.

Loan, R.; Bagiellae, P. Religion, Spirituality, And Medicine. Lancet 1999; 353:664-667. .Pargament K. The Psychology Of Religion And Coping: Theory, Research, Practice. New York: The Guilford Press, 2001.

Sanchis, P.(Org.). Fiis e cidados:percursos do sincretismo no Brasil. RJ: Eduerj, 2001.

Tillich, P. A coragem de ser. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1972.

World Health Organization. Amendments to the Constitution. 07 de abril de 1999.

ZAIDHAFT, S. Morte e formao mdica. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1991.




Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Janeiro
Av. Carlos Chagas Filho, 373, Edifício do Centro de Ciências da Saúde
Bloco K, 2 andar, Sala 49 - Cidade Universitária - Ilha do Fundão
Rio de Janeiro - Brasil - CEP: 21.941-902
Tel.: +55 21 3938-6708 / +55 21 2280-7793