HOME > Curso de Terapia Ocupacional da Faculdade de Medicina da UFRJ

Curso de Terapia Ocupacional da Faculdade de Medicina da UFRJ

Notícias - TO

 

A Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro e os cursos de Fisioterapia e Fonoaudiologia, sensíveis à necessidade de contemplar de maneira integral e interdisciplinar as diversas práticas da saúde funcional e ratificando o compromisso social da UFRJ criam o curso de Terapia Ocupacional no ano de 2008 com início de suas atividades acadêmicas previsto para o segundo semestre de 2009. Este curso passa a ser um marco na história na área de saúde no Estado por se configurar como a primeira graduação pública no Rio de Janeiro e também devido à formação profissional ocorrer sob a chancela de uma das mais conceituadas Escolas de Medicina do país.


Para a Organização Mundial de Saúde, a Terapia Ocupacional é a ciência que estuda a atividade humana e a utiliza como recurso terapêutico para prevenir e tratar dificuldades físicas e/ou psicossociais que interfiram no desenvolvimento e na independência do cliente em relação às atividades de vida diária, trabalho e lazer. É a arte e a ciência de orientar a participação do indivíduo em atividades selecionadas para restaurar, fortalecer e desenvolver a capacidade, facilitar a aprendizagem daquelas habilidades e funções essenciais para a adaptação e produtividade, diminuir ou corrigir patologias e promover e manter a saúde.
Entendemos que a Terapia Ocupacional se preocupa com os fazeres humanos e as possíveis alterações que estes fazeres podem sofrer em conseqüência das transformações culturais e históricas e também devido aos processos de adoecimento e de envelhecimento. As ocupações, as atividades humanas são importantes na constituição e identificação cultural e social do homem. Isto significa dizer o homem teria deste modo, uma natureza ocupacional. A perspectiva ético-ecológica presente na Terapia Ocupacional entende o homem como um ecossistema integrado de suas ocupações cotidianas. Assim, as três esferas do desempenho ocupacional: lazer e expressão sexual, trabalho e auto-cuidado (AVD) devem estar integradas e constituir o próprio sujeito. Caso qualquer problema interfira em um dos termos do desempenho ocupacional, esse sistema ocupacional, isto é, o homem fica desorganizado, trazendo alterações das funções corporais, e/ou psíquicas e/ou sociais, dificultando a funcionalidade. Nestes casos, é necessária a intervenção do terapeuta ocupacional, profissional que utiliza como recurso terapêutico as próprias atividades. O terapeuta ocupacional deve saber analisar o sistema ocupacional humano, e conhecer as possibilidades terapêuticas de cada atividade.

A profissão de terapeuta ocupacional é reconhecida oficialmente no Brasil pelo Decreto-Lei 938/69. Em vigência até hoje, o Decreto regulamenta a profissão e a define de nível superior exclusivamente. Em 1975, pela Lei nº. 6316, são criados o Conselho Federal de Fisioterapia e de Terapia Ocupacional (COFFITO) e os Conselhos Regionais (CREFITOs), com a incumbência de fiscalizar e normatizar o exercício dessas profissões. O Código de Ética Profissional, aprovado pelo COFFITO em 1978, define as responsabilidades dos profissionais de Terapia Ocupacional.

Tendo sido ampla e criteriosamente usada pela Drª Nise da Silveira a partir da década de 1940 e tendo sido também vital na década seguinte devido a um surto de poliomielite, também no Rio de Janeiro, a Terapia Ocupacional tem estado historicamente presente na assistência à população desta cidade.

 

O projeto pedagógico do curso da UFRJ foi criado de modo a contemplar, desde o primeiro período, diversos campos dos saberes necessários ao terapeuta ocupacional crítico, criativo e ético. Assim, ciências biomédicas, ciências da saúde, ciências humanas, ciências ocupacionais e artes estão presentes na formação profissional. Ainda destacamos que a Faculdade de Medicina, os cursos de Fisioterapia e Fonoaudiologia, bem como o Departamento de Arte Corporal da escola de Educação Física participam do curso de Terapia Ocupacional oferecendo disciplinas.


Para o campo de cenários de práticas e de estágios, o curso contará com Laboratórios próprios de Terapia Ocupacional e com os serviços de diversas unidades de saúde e pesquisa da Universidade. Objetiva-se deste modo o contato com a experiência clínica de maneira precoce, acelerando e estimulando o processo de ensino-aprendizagem.


O perfil profissional proposto pelo curso contempla uma formação transdisciplinar, humanista, generalista e crítica, e instrumentaliza o profissional para problematizar a complexidade humana e do contexto onde o homem está inserido, seu meio sociocultural e o cenário político-econômico. de maneira que suas intervenções estejam sempre respaldadas por compromissos éticos e sociais. Ele estará ligado sobretudo à saúde pública e coletiva, contemplando principalmente as necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS).


A sólida formação técnico-científico-artística visa capacitar o futuro terapeuta ocupacional para ações competentes, tornado-o capaz de vislumbrar, nas múltiplas manifestações da atividade e da ocupação humana, os diversos saberes e áreas de conhecimento. Sendo assim, a coordenação do curso de Terapia Ocupacional procurará a integração com diversas escolas e institutos da UFRJ, a fim de ampliar conceitos e ações de saúde.

 











© 2013 Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Janeiro. Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização dos responsáveis pelo conteúdo.
Av. Carlos Chagas Filho, 373, Edifício do Centro de Ciências da Saúde, Bloco K, 2º Andar, Sala 49 - CEP: 21.941-902
TEL.: 55 (0XX21) 3938-6708 FAX: 55 (0XX21) 2280-7793 - gabinete@medicina.ufrj.br